É possível ter uma marca pessoal dentro do ambiente corporativo?

Por - 18:24

 




Antes de qualquer coisa, a resposta é SIM, é possível trabalhar uma marca pessoal dentro do ambiente corporativo!


Venho observando há algum tempo que a importância de trabalhar a sua marca e ter uma projeção maior no mercado de trabalho é uma tendência, seja você um empreendedor, colaborador(a), freelancer, CLT ou diretor(a), até mesmo quem é influenciador, artista ou atua na área política. 
Tenho por hábito, e como crença comprovada na prática, dizer que o branding pessoal é para todos, sem exceção. 

Neste aspecto, a sua marca pessoal precisa ser estudada, analisada e trabalhada. Além disto, ao longo do seu amadurecimento profissional, a sua marca deve sempre estar em um constante processo evolutivo, para que você possa, então, não só se destacar, mas principalmente se posicionar e se comunicar de forma mais assertiva, seja no ambiente online ou offline. 


Inicialmente, um dos mais importantes passos na construção de marca é o reconhecimento dos seus valores, do seu propósito e de seu objetivo. Tendo consciência destes três elementos basilares de uma marca, o posicionamento estará alinhado, coerente e consistente ao longo do tempo.
Por consequência, ao ter um posicionamento definido e alinhado, um segundo passo é traduzir isto em sua comunicação (verbal e não verbal, online ou offline). O que você posta em suas redes sociais, como você se veste, a maneira como se comunica, enfim, toda forma de comunicação está intimamente ligada ao posicionamento de sua marca. 


E tratando-se de mercado, os recrutadores estão em uma crescente busca de pessoas que se posicionem e sejam claras e verdadeiras em tudo o que pregam. E isso quer dizer, que existe uma necessidade do mercado por pessoas coerentes, com valores e posicionamento claramente definidos.
Quanto aos valores, eles têm um peso bem relevante nessa busca do mercado de trabalho. As empresas e recrutadores observam, e, em muitos casos, verificam quais são as bandeiras que você vem defendendo. E isso pode definir a sua entrada, ou não, em uma empresa. 
Vale lembrar que o contrário também acontece. As pessoas estão analisando cada vez mais os valores das empresas para decidir se de fato, querem fazer parte daquela companhia.


Algo muito comum de acontecer no processo de construção do personal branding é querer se projetar e mostrar o seu trabalho, focando somente em seus atributos técnicos, quando na realidade, um processo de contratação, não se trata somente das suas habilidades técnicas. A capacidade técnica tem sua relevância e deve ser evidenciada, mas ela é apenas uma parte de quem você é, e não você por inteiro.
Além disso, atributos técnicos são muito mais fácil de serem “copiados” e alcançados, mas quando abordamos os seus atributos pessoais, levando em consideração os seus valores, objetivos, posicionamentos, gostos, evidenciando assim a sua singularidade.


Em um processo de marca corporativa o que mais enfatizamos é a humanização das marcas, entretanto, percebemos que quando se trata de marca pessoal, as pessoas têm uma tendência a se “corporativizar” e negligenciar o aspecto tão importante que é ser humano, e o que te torna quem você verdadeiramente é. Afinal, só você é você.


E para você que deseja utilizar o branding pessoal a seu favor, já adianto que é um processo contínuo em que você pode sim ter um profissional te acompanhando, mas nada impede que você possa dar os primeiros passos solo.
Todo processo de marca pessoal começa com muita observação, mas também com a aceitação do que você almeja e de como você deseja que as pessoas te vejam. Fazer essa reflexão te ajuda a trazer para a consciência qual é o seu objetivo de fato, que muitos casos está tão escondido que precisa de muita ajuda para surgir.


Falando assim até parece muito simples, mas quando você colocar a mão na massa vai notar que essa é uma das etapas mais delicadas, pois é ela que vai definir e servir de base para toda a construção de sua marca.
É importante frisar que essa a construção de marca pessoal não é sobre criar um personagem, mas sim sobre fortalecer e comunicar aquilo que você tem de melhor. E esse é um dos fatores mais transformadores no processo de construção de marca pessoal. 


A construção de marca pessoal permite que você mostre ao mundo quem você realmente é, quais são suas crenças, desejos, habilidades e expertise. E, no ambiente corporativo, ter clareza de seus valores, ser coerente, se comunicar de modo assertivo e claro, e fazer com que todas as suas habilidades e características trabalhem em sinergia, fará com que o mercado te enxergue da maneira como você quer ser vista. Um diferencial e tanto, não acha?


Espero que tenha gostado.
Esse conteúdo faz parte da trilha #DUOitYourself

Talvez você goste

0 comentários